“O educador mais do que qualquer outro profissional deve mudar sua mentalidade, revendo seus conhecimentos, preconceitos e conceitos em relação à droga. Para tanto o professor de qualquer disciplina deve estudar o assunto, aumentar os conhecimentos acerca das drogas e seus efeitos e problemas relacionados com o seu uso”.
(Salete Maria Vizzoloto)
 

OBJETIVO – Prevenção Primária nas Redes de Ensino Estadual, Municipal e Particular

I – JUSTIFICATIVA

É urgente que cada cidade brasileira, por menor que seja, assuma responsabilidade pela prevenção ao uso indevido de drogas, não só com boas intenções, mas antes de tudo com cuidado e preparo, avaliando o problema, definindo objetivos, aprimorando conhecimentos e avaliando as ações a serem executadas.
Sem determinismo, sem ação, sem envolvimento da família, escola e comunidade, não haverá como fazer prevenção.

II - OBJETIVO GERAL

Implementar na Rede Municipal de Ensino, um programa de educação continuada que propicie condições para o desenvolvimento da auto-estima dos alunos e do senso de responsabilidade sobre a saúde individual e coletiva promovendo a prevenção ao uso de drogas.

III - OBJETIVOS ESPECÍFICOS

Programar nas unidades escolares, um currículo amplo de prevenção ao uso de drogas, em bases fundamentais e científicas;
Capacitar educadores para implantar, como parte integrante do Plano Escolar, em consonância com os Temas Transversais dos PCNs, projetos de prevenção ao uso de drogas e de promoção da saúde em sua comunidade escolar;
Despertar na comunidade, uma consciência crítica em relação aos problemas que derivam do uso e abuso de álcool, outras drogas e as ações a serem desencadeadas;
Fazer com que o aluno adquira conhecimento básico do organismo e da mente, oferecendo informações a respeito das conseqüências e fatores que influem no uso e abuso de drogas.

IV - PÚBLICO-ALVO

Diretores, coordenadores, professores, funcionários, pais e alunos.

V – AÇÕES

Constituir grupos de estudo de diretores, coordenadores, professores e funcionários para capacitá-los a respeito de:

  • Drogas lícitas e ilícitas;
  • Diferenças entre remédios e drogas ilícitas;
  • Nomes de drogas e como são vendidas;
  • Conhecimento sobre efeitos das drogas;
  • Conhecimento sobre o crime e a economia das drogas;
  • Restabelecer o vínculo FAMÍLIA-ESCOLA-COMUNIDADE;
  • Amparar a escola na pregação sobre amizade, prática esportiva e ajuda mútua.

Realizar encontros com pais para debater sobre a importância da família:

  • Na orientação do que é certo ou errado;
  • No estabelecimento de limites;
  • Na sabedoria de dizer NÃO;
  • Na informação correta sobre o uso das drogas de uma maneira clara e honesta.

Criar momentos junto aos alunos para conversar sobre:

  • Drogas;
  • O perigo que representam para a saúde;
  • A relação entre o uso e abuso de drogas com a vida saudável;
  • A questão do uso de drogas e a violência.

I - AVALIAÇÃO

Acompanhamento e avaliação de todas as ações desenvolvidas, durante o ano letivo, possibilitando verificar a eficácia do projeto em cada Unidade Escolar do município.  Esse processo deve ser contínuo para permitir as alterações necessárias e o planejamento, visando a maior efetividade das ações.
  

VII - CONTINUIDADE

Assegurar que o espaço reservado ao projeto (Temas Transversais), permaneça incluso ao Projeto Pedagógico de cada Unidade Escolar.

VIII - CONCLUSÃO

O PROJETO VIDA FASE I chama a todos para que tomem decisões, pressupondo a capacidade de assumir responsabilidades coerentes, no sentido de que o futuro de muitas crianças, jovens, filhos nossos ou não, recebam o reflexo positivo das decisões que estamos tomando, visando capacitá-los para um entendimento seguro sobre DROGAS.
Assim sendo, cada criança, cada jovem deve ser alvo de muito carinho, amor, confiança e diálogo, para que cresça em um ambiente saudável, ficando preparado para rejeitar a droga, quando lhe for ofertada, pois já é conhecedor do que pode ocorrer, caso se torne um usuário.

Projeto Elaborado por
Marcelo Lourenço
Coordenador do Centro de Recuperação para Dependentes Químicos, Recanto Vida.
Profª Cleyde Regina Salani
Diretora Técnica do Centro de Recuperação para Dependentes Químicos, Recanto Vida.   
Registrado no Registro de Títulos e Documentos de Peruíbe.